search engine by freefind advanced
 
     
  Home  
  Contato  
  Adestramento  
  Agility  
  Cães Famosos  
  Classificados  
  Curiosidades  
  Depoimentos Raças  
  Dicas  
  Editorial  
  Galeria de Fotos  
  Homenagens  
  Links  
  Nomes de Cães  
  Raças  
  Reportagens  
  Vídeos  
     
     
     
 
 
O BOIADEIRO AUSTRALIANO
por Irene Laure
 
MATÉRIA PUBLICADA EM 04/2005
 


Boiadeiro Australiano Adulto de cor azul salpicado



Mãe e filhote de cor vermelho salpicado



Filhote de Boiadeiro Australiano de cor azul salpicado



O Boiadeiro Australiano é muito ligado ao dono, estando sempre ao seu lado e se estiver solto, não vai fazer a menor diferença, pois ele vai estar sempre no seu calcanhar.

 

A raça começou a ser formada no início do século XIX, entretanto, ela só se estabeleceu nos anos 1890 e seu primeiro padrão foi escrito em 1902.
O Boiadeiro Australiano surgiu do cruzamento de diversas raças. Foram trazidos para Austrália cães chamados “Smithfield”, que eram muito peludos, negros, sem cauda e com orelhas pesadas e caídas, os quais tinham misturas de Collie e de Old English Sheepdog. Por isso, acredita-se que estas raças encontram-se na formação do Boiadeiro Australiano.
Como os Smithfields não suportavam o trabalho extenuante no calor australiano, cruzou-se esse cão de origem européia com o Dingo, cão nativo australiano, o que resultou num animal muito agressivo, trazendo dificuldades para o trabalho com o gado; latiam muito, pressionando o gado pela frente, na cabeça.
Foi então que um fazendeiro chamado Thomas Hall, resolveu importar um casal de Collies de pêlo curto, de cor blue merle; mas nem os animais importados e nem seus descendentes conseguiram trabalhar com o gado naquelas condições. Então Thomas Hall misturou estes cães importados, com os cães que resultavam do cruzamento de Smithfield com Dingos, usando vários graus de sangue de Dingo, na mistura. Destes cruzamentos resultou um animal muito interessante: corajoso, inteligente, que não latia e pegava no calcanhar do gado fazendo este se mover para frente ao invés de ficar latindo para a cabeça do gado. Estes cães eram menores em tamanho do que os Dingos, porém, mais fortes e tão rústicos como o Dingo. Suas cores eram duas: azul salpicado e vermelho salpicado. Este mix foi se tornando um padrão e ficou conhecido como os mordedores de calcanhares de Hall (Hall´s Heelers). Porém havia um detalhe que deveria ser melhorado. O mesmo instinto que fazia os cães morderem o calcanhar do gado, também os fazia morder os boletos dos cavalos, derrubando conseqüentemente seu cavaleiro. Para corrigir esse comportamento indesejável, foi introduzida a raça Dálmata (uma raça conhecida pelo seu amor aos cavalos). O Dálmata fez com que o Boiadeiro Australiano tivesse um relacionamento melhor com os cavalos e ficasse bem apegado ao homem. E do Dálmata que vieram as manchas azuis e vermelhas, características do Boiadeiro Australiano. Outra característica comum entre Dálmatas e Boiadeiros Australianos é que os filhotes nascem totalmente brancos.
O Bull Terrier também deu sua contribuição para a raça, pois é certo que o B. Australiano tem sangue de Bull Terrier, e isso não é difícil de acreditar, pois na época ele era um cão muito popular e se acreditava que a raça foi introduzida para dar mais coragem ao cão de pastoreio. Não se sabe ao certo a quantidade deste sangue que foi utilizada na raça; acredita-se que provavelmente não tenha sido muita.
Alguns acreditam que o Kelpie tenha sido incorporado também a raça, entretanto, outros discordam, mas como o Kelpie tem a mesma origem do Colie e do Dingo, fica difícil separá-lo.
O B. Australiano já estava praticamente formado quando o Kelpie foi introduzido na raça e isso com certeza aumentou suas habilidades de cão de pastoreio e fez também com que o B. Australiano ficasse um cão mais atlético e com marcas marrons na cara.
O B. Australiano é um cão de porte médio, compacto e muito forte, medindo de 43 à 51cm de altura na cernelha, seu peito é largo com suas costelas bem arqueadas. Suas orelhas são eretas com um stop suave, mas definido. Seu pêlo é curto e muito denso.
O B. Australiano é um cão atlético, muito habilidoso e inteligente e é desconfiado com estranhos. Ele é um excepcional saltador. Por isso tome cuidado quando o prendê-lo num canil, pois ele pode sem dúvida escapar facilmente, saltando cercas e grades que não se imagina. Eles são ótimos para as competições de agility, flyball, fresbee e outras atividades que requerem cães ágeis e rápidos. Adora água. Têm-se relatos de um dono que deixou seu B. Australiano em casa enquanto foi velejar. Este fugiu de casa e foi se encontrar com seu dono que velejava tranqüilamente a quilômetros de distância.
É um cão muito corajoso que não tem medo de enfrentar um touro de 1000kg, como se este fosse um bezerro. Também é muito vigoroso, podendo trabalhar o dia todo se necessário. Os meus cães correm 6 a 7 km atrás do carro e quando voltam para casa, estão prontos para brincar, como se acabassem de acordar. Entretanto, deve-se lembrar que este cão precisa gastar toda esta energia, pois trata-se de um atleta, ou seja, não é o tipo de cão que vai ficar quieto até você voltar para casa.
O B. Australiano é muito ligado ao dono, estando sempre ao seu lado e se estiver solto, não vai fazer a menor diferença, pois ele vai estar sempre no seu calcanhar. Para este cão não há lugar melhor do que ao lado de seu dono. Por isso, eles são chamados de velcrom.

 

Eles têm um bom faro e por isso são usados para detecção de drogas, explosivos, etc.
Em muitos países, inclusive no Brasil, eles são usados para resgate (busca e salvamento). Existe uma cadela desta raça que trabalha no Rio de Janeiro com o resgate. Como são de tamanho médio são facilmente transportados. São apegados com crianças. Adoram brincar e gastar suas energias, eles não se cansam.
São cães muito atentos, o que é fundamental para o pastoreio, o que também os tornam excelentes cães de guarda e não vão ter dúvida quando se tratar de proteger seu dono.
Você pode conseguir tudo o que você quiser de um B. Australiano, contanto que seja com muito carinho e amor, pois nada o agrada mais do que deixar seu dono contente. Apenas seu reconhecimento como incentivo fará com que ele queira te deixar cada vez mais contente e feliz. Se você usar inteligência não vai ter nenhum problema com seu B. Australiano. Mas ele não aceita de forma alguma a brutalidade, pois qualquer agressão sua é a “morte” para ele; nada o deixará mais triste do que saber que ele te desagradou. Isso já é castigo suficiente, mas se além do castigo ocorrer agressão, ele simplesmente não entenderá, e isso fará dele um cão agressivo, arredio e ele perderá toda a confiança que tem em você, se tornando um cão revoltado, muito difícil de ser treinado. Não use violência com seu B. Australiano, pois não vai ajudar em nada no seu treinamento. A violência faz com que ele se afaste cada vez mais de você voltando a se tornar selvagem. Ele irá te testar, pois é um cão inteligente. Você deve deixar claro para o cão que você é o dono, pois do contrário, ele irá facilmente tomar o controle. Apesar de às vezes ser um pouco teimoso, ele gosta de ser treinado e aprende com uma facilidade incrível.

 

 

Irene Laure é titular do Canil Irenic, que é dedicado à criação selecionada e exclusiva da raça Boiadeiro Australiano no Brasil.

 
Irene Laure
Canil Irenic
Site:
www.boiadeiroaustraliano.com.br
E-mail:
boiadeiroaustraliano@uol.com.br
Tel.: (63) 4661-428
 
 

Copyright © 2002-2011 CaesPastores.com . Todos os direitos reservados